sábado, 29 de março de 2014

A ATIVIDADE ESPONTÂNEA E O DESENVOLVIMENTO INICIAL DA CRIANÇA: UM ESTUDO DA BRINCADEIRA NA PRAIA

"O brincar, atividade fundamental para o desenvolvimento infantil, depende não só das crianças, como do grupo familiar e do espaço. A praia, espaço natural de fácil acesso à população litorânea, oferece condição favorável à atividade livre das crianças, o que motivou sua escolha como campo de pesquisa para investigar a atividade espontânea da criança pré-escolar, focalizando-se as brincadeiras, os objetos utilizados e as interações estabelecidas. A pesquisa teve abordagem qualitativa e caracterizou-se como naturalística e exploratória. Participaram 6 sujeitos, 4 meninos e 2 meninas, com idade de 13 à 32 meses. A coleta de dados foi realizada em praias da Grande Florianópolis – SC, Brasil. As evidências para análise foram coletadas por observação e registro em fotos e vídeos. A análise e a interpretação foram realizadas a partir de referencial teórico construtivista. Os resultados mostraram atividades variadas, envolvendo especialmente a areia. Destacaram-se o empenho, a atenção e a persistência dos sujeitos em suas atividades. O ambiente favoreceu a liberdade de movimentação e organização da atividade, condições que repercutiram na exploração do meio, da ação e do próprio corpo. Os achados apontaram a praia como espaço privilegiado para a atividade de crianças pequenas, oferecendo particular oportunidade para o desenvolvimento da autonomia e da consciência de si. Por outro lado, o ambiente igualmente atendeu aos objetivos da pesquisa. Os resultados encontrados foram socializados através de material educativo direcionado a pais e educadores."
Acesse abaixo dois documentos da pesquisa da profa. Lais Krucken Pereira
Docente do curso de Psicologia da Universidade Federal do Sul de Santa Catarina

Texto completo aqui
Livreto do texto aqui
Agradecemos a professora pelo envio e autorização para publicação de seus textos.

segunda-feira, 17 de março de 2014

As crianças e os espaços pós-escolares na contemporaneidade

Roger Bastide, no prefácio à obra “Trocinhas do Bom Retiro”, do sociólogo Florestan Fernandes, já sinalizava nos anos 1940, para as espontaneidades infantis, após o tempo social da escola. No mundo contemporâneo, as crianças vivenciam novos espaços e tempos que resultam das contingências das políticas globais, que acabam por influenciar as relações sociais e o microcosmo familiar. A partir de representações espaciais e narrativas de crianças matriculadas nas séries iniciais do Ensino Fundamental, com amparo no conceito de perejivanie (vivência) de L. S. Vigotski, apresentados na dissertação de mestrado de Ricardo Amorim Flório, foi possível identificar aspectos que nos remetem às novas vivências, caracterizadas pelos agendamentos infantis na contemporaneidade.

                                       Representação espacial de R.W. (escola particular)

segunda-feira, 10 de março de 2014

Escolarizando o Mundo - PROJETO GEOINFÂNCIAS FILMES E SÉRIES


O vídeo aborda a escolarização do mundo a partir da cultura ocidental...muitas reflexões...vale conferir e debater! É um filme de 2011, mas que agora está disponível no Youtube e com legendas em português. A película é uma co-produção americana e indiana, dirigido por Carol Black. Eis:

sexta-feira, 7 de março de 2014

Criação da Biblioteca de textos em Geografia da Infância


O Grupo de Pesquisa em Geografia da Infância recebe diversos emails solicitando textos que abordem a temática da Geografia da Infância, vamos disponibilizar (na parte referente a bibliotecas) artigos e outros materiais produzidos pelos integrantes do grupo e também por outros colegas pesquisadores.
Todas as contribuições são bem vindas!
Veja link na parte central do blog.

sábado, 1 de março de 2014

16º Seminário FNLIJ Bartolomeu Campos de Queirós

Sobre a Importância da Fantasia na Literatura

    “A literatura, se construída de fantasia, é feita do que não temos. Só fantasiamos sobre o que sonhamos. Fantasiar é noticiar ao mundo que ainda tenho desejos. Fantasiar é festejar a vida”.
Bartolomeu Campos de Queirós – “Para Ler em Silêncio”

Diante das inúmeras censuras em nome do politicamente correto escolhemos A FANTASIA como tema para o 16º Seminário FNLIJ Bartolomeu Campos de Queirós.
Em homenagem ao grande escritor, educador e pensador Bartolomeu Campos de Queirós, que nomeia este seminário, fomos buscar inspiração para a reflexão e o debate sobre o tema nos seus inúmeros escritos.
Neste ano em que a FNLIJ comemora o 40º aniversário da realização do 14º Congresso do IBBY realizado no Brasil cujo o tema foi O Livro Como Instrumento na Formação e no Desenvolvimento da Criança e do Jovem convidamos a todos que se interessam pela formação de leitores por meio da literatura, professores ou pais para participar dessa discussão.
O Seminário Bartolomeu Campos de Queirós tem por objetivo refletir com profissionais e interessados das áreas de educação e cultura a necessidade e importância da leitura de livros de qualidade.
O Seminário ocorre durante a programação do 16º Salão do Livro FNLIJ para Crianças e Jovens.
O 16º Salão do Livro FNLIJ para Crianças e Jovens irá acontecer de 28 de maio a 08 de junho de 2014. O Salão já se tornou parte do calendário cultural do Rio de Janeiro e será realizado no Centro de Convenções Sul América – Centro – Rio de Janeiro. O Salão FNLIJ do Livro para Crianças e Jovens é um projeto pioneiro de caráter institucional, por ter criado no país uma feira exclusivamente de livros de literatura e informativos para esse público e por introduzir a presença de biblioteca em recinto de feiras de livros.
Além da programação de 3 dias, que segue abaixo, a FNLIJ inaugura no espaço do Salão um momento de comunicações acadêmicas para pesquisadores interessados a expor seus trabalhos sobre A Fantasia na Literatura.
O 16º Seminário acontece nos dias 02, 03 e 04 de junho de 2014.
Nestes 3 dias contaremos com a seguinte programação:
1º Dia - Dedicado à Literatura na Argentina
2º Dia - XI Encontro de Autores Indígenas com o tema “Literatura indígena, a bola da vez”.
3º Dia – Iremos refletir sobre a literatura por meio de temas tratados no 14º Congresso do IBBY realizado pela FNLIJ no Rio de Janeiro há 40 anos atrás, em 1974.

Comunicações

Este ano a FNLJ buscando aproximar a produção acadêmica sobre leitura, literatura para infância e juventude convida pesquisadores interessados a realizarem comunicação durante o período de 04 a 06 de junho de 2014.
Os trabalhos devem conter reflexões de pesquisas em andamento ou concluídas que dialoguem com os 4 temas propostos pelo 14º Congresso em 1974, em seu relatório final, a saber:
1. O livro infantil, sua criação, produção e promoção
2. A aproximação criança – livro
3. A formação e a preparação do adulto para fazer a aproximação entre a criança e o livro
4. O trabalho internacional com o livro infantil

Os trabalhos devem tratar o percurso desses temas ou apenas um deles, nos últimos 40 anos ou abordar a situação atual. Entendemos que estes temas são estruturantes nos processos de promoção da leitura literária e assim devem propor a reflexão sempre.
Regras para envio:
Os interessados em fazer comunicação devem enviar resumo em até 2.500 caracteres, até o dia 10/04. Os resultados dos trabalhos selecionados será comunicado entre 20/04 e 25/04.
Cada comunicação terá o tempo de 15 minutos para apresentar e poderá contar com data- show.
Pelo menos uma (1) pessoa, caso a comissão seja trabalho de equipe, terá que realizar a inscrição no 16º Seminário FNLIJ Bartolomeu Campos de Queirós.
A FNLIJ irá compor a comissão científica que irá julgar os trabalhos selecionados. Os critérios para seleção pautam desde a clareza das ideias no texto até a correspondência com a proposta. Os selecionados deverão enviar o trabalho compilado na íntegra assim como suas imagens, se houver. Esses trabalhos serão publicados no site da FNLIJ. Maiores informações: FNLIJ - tel: 21 – 2262 9130; e-mail: seminario@fnlij.org.br

Estudos em Avaliação Educacional n. 56

Prezados colaboradores,

A versão digital do número 56 de Estudos em Avaliação Educacional se encontra disponível no site da Fundação Carlos Chagas (para acessá-la: http://www.fcc.org.br/pesquisa/actions.actionsEdicoes.BuscaDetalhada.do?tp_caderno=1&order=0&tp_busca=2&detalhe=56).

Agradecemos por sua colaboração na edição deste número e pela contribuição de seu trabalho, que garante a qualidade e a importância das publicações deste periódico.
Cordialmente,

Camila M. Camargo de Oliveira
Assistente Editorial – Coordenação de Edições
3721-4861/Rm 108

Cadernos de Pesquisa n. 150

Prezados professores e colaboradores,

É com grande satisfação que informamos que o número 150 de Cadernos de Pesquisa está publicado online. 
Cadernos de Pesquisa tem como uma de suas marcas olhar para a educação de forma ampla, no interior da sociedade e não circunscrita ao interior da escola, entendida como um dos elementos que compõem a pesquisa da área. Daí decorre o pioneirismo em trazer ao debate temas e questões que remetem aos processos educacionais, no quadro da produção e reprodução da vida social.
Muito desse trabalho é conquistado e se sustenta graças ao esforço e a colaboração de vocês, autores, pareceristas e membros da Comissão e do Conselho Editorial, a quem agradecemos por mais este número.
Aproveitamos para solicitar que divulguem Cadernos de Pesquisa, captem e nos enviem artigos para submissão.
Atenciosamente,

Moysés Kuhlmann Jr. – Editor Responsável de Cadernos de Pesquisa