quinta-feira, 28 de abril de 2011

A educação infantil frente aos desafios colocados pela extensão do ensino fundamental para nove anos

Revista Educação e Pesquisa convida para lançamento da Edição Temática "A educação infantil frente aos desafios colocados pela extensão do ensino fundamental para nove anos" (Vol 37, n. 1), promovendo a mesa-redonda
A educação infantil frente aos desafios colocados pela extensão do ensino fundamental para nove anos
que contará com as professoras convidadas:
Maria Malta Campos, Lisete Gomes Arelaro e Mônica Appezzato Pinazza

12 de maio de 2011
das 17h30 às 19h30

Local:
Auditório da Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo - Cidade Universitária

Evento aberto e gratuito, sem necessidade de inscrição prévia.

Os textos da revista estão disponíveis no endereço:
http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_issuetoc&pid=1517-970220110001&lng=pt&nrm=iso

A Revista é a de n1, vol 37 de jan/abr de 2011 e apresenta o seguinte sumário:

Editorial
 texto em Português · pdf em Português

Artigos

· A contribuição da educação infantil de qualidade e seus impactos no início do ensino fundamental
Campos, Maria Malta; Bhering, Eliana Bahia; Esposito, Yara; Gimenes, Nelson; Abuchaim, Beatriz; Valle, Raquel; Unbehaum, Sandra

· resumo em Português | Inglês · texto em Português · pdf em Português

· O ensino fundamental de nove anos e o direito à educação
Arelaro, Lisete Regina Gomes; Jacomini, Márcia Aparecida; Klein, Sylvie Bonifácio

· resumo em Português | Inglês · texto em Português · pdf em Português

· Ampliação do ensino fundamental: a que demandas atende? A que regras obedece? A que racionalidades corresponde?
Marcello, Fabiana de Amorim; Bujes, Maria Isabel Edelweiss

· resumo em Português | Inglês · texto em Português · pdf em Português

· Infância e crianças de 6 anos: desafios das transições na educação infantil e no ensino fundamental
Kramer, Sonia; Nunes, Maria Fernanda R.; Corsino, Patrícia


· resumo em Português | Inglês · texto em Português · pdf em Português

· O ingresso de crianças de 6 anos no ensino fundamental: uma pesquisa em Rondônia
Pansini, Flávia; Marin, Aline Paula

· resumo em Português | Inglês · texto em Português · pdf em Português

· Educação infantil e ensino fundamental: desafios e desencontros na implantação de uma nova política
Correa, Bianca Cristina

· resumo em Português | Inglês · texto em Português · pdf em Português

· A passagem da educação infantil para o ensino fundamental: tensões contemporâneas
Neves, Vanessa Ferraz Almeida; Gouvêa, Maria Cristina Soares de; Castanheira, Maria Lúcia

· resumo em Português | Inglês · texto em Português · pdf em Português

· Os alfabetizados-desviantes ou sobre a educação dos 6 anos
Dornelles, Leni Vieira


· resumo em Português | Inglês · texto em Português · pdf em Português

· De crianças a alunos: transformações sociais na passagem da educação infantil para o ensino fundamental
Motta, Flávia Miller Naethe

· resumo em Português | Inglês · texto em Português · pdf em Português

· Trabalho docente e desenvolvimento das atividades simbólicas: considerações para o ensino fundamental de nove anos
Nogueira, Ana Lúcia Horta; Catanante, Ingrid Thais

· resumo em Português | Inglês · texto em Português · pdf em Português

· Jogo e letramento: crianças de 6 anos no ensino fundamental
Kishimoto, Tizuko Morchida; Pinazza, Mônica Appezzato; Morgado, Rosana de Fátima Cardoso; Toyofuki, Kamila Rumi

· resumo em Português | Inglês · texto em Português · pdf em Português

quarta-feira, 27 de abril de 2011

Colóquio Internacional Fronteiras e diversidades culturais no século XXI


Os deslocamentos humanos na era da globalização e as transformações culturais e territoriais são temas da pauta no mundo contemporâneo e serão debatidos no Colóquio Internacional “Fronteiras e diversidades culturais no século XXI: Desafios para o reconhecimento no estado global”, de 01 a 03 de junho de 2011 no auditório do CFCH da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).
O evento é uma parceria entre o programa EICOS/ Cátedra UNESCO de Desenvolvimento Durável da UFRJ e a Pós-Graduação em Psicologia Social da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ).
Os debatedores convidados são pesquisadores do Brasil,  França, Estados Unidos, Canadá, Índia, Angola.

PROGRAMAÇÃO:

31/05 – Pré-evento – Workshop e Inauguração da Exposição Audiovisual
01/06 – Abertura 9:30
 Manhã – 10:15 – 12:00
 Mesa – Fronteiras e cidadanias culturais no século XXI
 Tarde – 14:00 – 18:00
Mesas – Identidade, hibridismo e território (14:00-16:00)
                            Dimensões culturais da globalização (16:00-18:00)
02/06 – Manhã – 10:00- 12:00
Mesa – Diversidades culturais, sustentabilidade e Justiça Social
            Tarde – 14:00 – 18:00
Mesas – Territórios e fronteiras:  A diversidade da cidade (14:00-16:00)
                          Diáspora, deslocamento e gênero (16:00-18:00)
03/06 – Business Meeting – Reunião dos pesquisadores para avaliações do colóquio, estratégias de desenvolvimento, elaboração de resultado e definição de publicações. 

Auditório do CFCH (Centro de Filosofia e Ciência Humanas) da UFRJ – Avenida Pasteur, 250, Urca, Rio de Janeiro.
          

Inscrições prévias pelo site:  http://colloquiumfronteiras.wordpress.com/ 
Não há taxas de inscrição
Contactos e informações:
Marie Louise event_2011@i-gaia.org ; Vanessa Campos vanessapmcampos@gmail.com

quinta-feira, 21 de abril de 2011

Bebês, de Thomas Balmès

O filme "Bebês, de Thomas Balmès" é um fantástico documentário sobre os bebês, ambientado na Namíbia, Estados Unidos, Japão e Mongólia. Vale conferir.
Eis o trailer oficial:

Palestra: "Que idade temos?"

Colegas,
convido para a palestra da Professora Christine Bouissou da Universidade de Paris 8

Título: "Que idade temos?"

Apresentação: Em Infância e história, Giorgio Agamben, mostra que a experiência humana se elabora a partir da infância, graças à linguagem. Mas que relação a experiência mantém com o compromisso no presente? Essa questão chama a outra: que relação o trabalho de pesquisa, de escrita de pensamento, mantém com a ação? A presente intervenção procura definir as condições de uma atividade de pesquisa e de pensamento que favoreça o movimento e a potência.

Local: UERJ, Campus Maracanã, Auditório do PROPEd, Sala 12037 F
Data: 26 de abril as 19:00 h.
Entrada livre. Tradução sucessiva.
Cordialmente, Walter Omar Kohan

X Congreso Argentino de Antropología Social


29 de noviembre al 2 de diciembre de 2011 
Facultad de Filosofí­a y Letras UBA 
Buenos Aires 

GRUPO DE TRABAJO 
"La dimensión etaria desde la antropología: configuraciones de niñez, niñas/os, juventud y jóvenes." 
El grupo de trabajo funcionará organizado en tres sub-mesas de trabajo: 
Sub-mesa 1: La niñez como categoría y experiencia. Continuidades y transformaciones. 
Coordinadoras: 
Dra. Andrea P. Szulc - UBA- CONICET 
Mtr. María Adelaida Colangelo- Facultad de Trabajo Social -UNLP 


Este sub-eje parte del reconocimiento del lugar que la niñez ha pasado a ocupar como objeto de reflexión en ciencias sociales, especialmente del aporte conceptual y metodológico que a este análisis crítico viene realizando la antropología, desde su tradición problematizadora. El ámbito de discusión construido a partir del VII CAAS ha contribuido a consolidar una perspectiva antropológica sobre la niñez como construcción sociohistórica, heterogénea, cambiante, disputada; como un conjunto de experiencias y categorías que es preciso abordar analíticamente en su complejidad. No obstante, nos preocupa la persistente naturalización de que sigue siendo objeto la niñez, tanto en ciertos discursos académico-profesionales como del sentido común, que la reducen a un fenómeno biológico universal e inmutable. Proponemos, entonces, la presentación de trabajos que den continuidad y profundicen la problematización emprendida en el citado espacio, invitando en particular a reflexionar sobre las continuidades y transformaciones de la niñez en sus diversos contextos socioculturales. 



Sub-mesa 2: Juventudes 



Coordinadora: 



Dra. Mariana Chaves – NES, FTS, UNLP /CONICET / UNTREF 




Este sub-eje recibirá trabajos de investigación centrados en lo joven, juvenil o jóvenes a partir de dos tipos de aproximaciones. Por un lado, aquellos resultados que aporten a explicar la construcción cultural de la juventud, donde no simplemente se tiene como referente empírico a personas jóvenes sino que se discute la construcción social de dicha categoría. Y por otro lado, los avances de investigación sobre las prácticas culturales realizadas por personas consideradas jóvenes. En este caso también se pretende una problematización de cómo s inserta la producción cultural realizada por este grupo o grado de edad en la dinámica social y cultural más general. El interés por la acción político-cultural, la lectura de las relaciones de poder y cómo se resuelve la cuestión de clase y/o género en la cultura a través de producciones con anclaje en lo etario son de sumo interés para avanzar en la discusión del campo. 



Sub-mesa 3: Antropología de la edad 

Coordinadora: 
Dra. Laura Kropff – IIDyPCa, UNRN/CONICET- 


Este sub-eje se propone colocar el foco en el análisis antropológico de aquellos aspectos que hacen a la dimensión etaria como estructurante de la práctica social que no quedan, necesariamente, circunscriptos a lo que se expresa en términos de grados de edad. Nos referimos, por ejemplo, a la dimensión etaria operando como articuladora de posiciones en el marco de procesos políticos, trayectorias laborales, procesos de comunalización de diversa índole, etc. Asimismo, nos referimos a lo que los antropólogos clásicos de la escuela estructural-funcionalista llamaron "grupos de edad" y que, desde lecturas contemporáneas, se define como "generaciones". Nos interesan los abordajes de las relaciones intergeneracionales, la vinculación entre generaciones y memoria colectiva, las disputas que se inscriben en términos generacionales, etc. Se espera recibir tanto trabajos etnográficos como ponencias que se centren en la discusión teórica. 



La inscripción y el envío de resúmenes de trabajos debe hacerse desde el 1/04/2011 hasta el 30/04/2011, a través del sitio web del evento: www.xcaas.org.ar 

sábado, 16 de abril de 2011

VIII Congresso Brasileiro de Psicologia do Desenvolvimento: A Psicologia do Desenvolvimento para a Transformação da América Latina.




12 a 15 de novembro de 2011, Universidade de Brasília, Brasília, DF

O Congresso Brasileiro de Psicologia do Desenvolvimento – CBPD é um evento bianual
organizado pela Associação Brasileira de Psicologia do Desenvolvimento – APBD. O VIII CBPD
visa ampliar o intercâmbio científico entre pesquisadores, profissionais e estudantes de
Psicologia, de Educação e de áreas afins, interessados em discutir e disseminar resultados
relacionados à pesquisa em Psicologia do Desenvolvimento no Brasil e países vizinhos. Nosso
desafio é trazer um número significativo de investigadores e estudantes de pós-graduação de
toda a América Latina!
Público alvo: Pesquisadores em Psicologia do Desenvolvimento e áreas afins; Profissionais de
Psicologia do Desenvolvimento e áreas afins; Estudantes de graduação e de pós-graduação em
Psicologia do Desenvolvimento e áreas afins.
Inscrição de participante e submissão de trabalhos: de 04 de abril a 03 de junho de 2011.
Maiores informações:

http://www.abpd.psc.br/WebContent/

quarta-feira, 13 de abril de 2011

VII Colóquio de Cartografia para Crianças e Escolares Imaginação e Inovação: desafios para a Cartografia Escolar Vitória – ES, 26 a 28 de outubro de 2011


1ª. CIRCULAR
Apresentação
Modificações promovidas pelas políticas educacionais e científicas, particularmente no último decênio, contribuíram com a consolidação do campo de pesquisa em Cartografia Escolar. Sua legitimação se expressa nas produções científicas, nos eventos, na produção de recursos didáticos, na disseminação por meio de atividades de formação continuada de professores e em sua inclusão no ensino universitário, seja como conteúdo das metodologias e práticas de ensino, seja como disciplina independente.
Tendo como horizonte o crescimento e fortalecimento deste campo de pesquisa, esse evento se propõe a ser um momento de reflexão acerca dos avanços nas diferentes linhas de pesquisa em Cartografia Escolar e de proposições estratégicas para a pesquisa nos próximos anos. Propõe-se, também, a se constituir em um momento de intercâmbio entre outros pesquisadores e grupos de pesquisa que articulam em sua produção os universos cartografia-educação, sem, contudo, inserirem-se no âmbito das práticas escolares em Geografia, dando visibilidade à riqueza e potencialidade destes fazeres na contemporaneidade e, com isso, provocando a criação.
Constitui-se, assim, a temática proposta para este VII Colóquio de Cartografia para Crianças e Escolares, pilares a partir dos quais se buscará contribuir com avanços na pesquisa nesta área: Imaginação, como faculdade humana criadora, e Inovação, como horizonte necessário às novas proposições.
Objetivos:
Os objetivos gerais do VII Colóquio de Cartografia para Crianças e Escolares são:
1. Avaliar os avanços nas diferentes linhas de pesquisa em Cartografia Escolar;
2. Propor estratégias para a pesquisa nos próximos anos;
3. Promover intercâmbio entre pesquisadores e grupos de pesquisa.
Atividades
1. Conferência de abertura: “Imaginação e pesquisa: miradas para a Cartografia Escolar”
2. Imaginações em cartografia: momento de intercâmbio com outros grupos de pesquisa/pesquisadores. Contará com a apresentação de resultados de pesquisas em perspectivas cartográficas diferenciadas e com debatedores da área de Cartografia Geográfica Escolar
3. Grupos de Trabalho em Cartografia escolar: os grupos de trabalho serão articulados a partir das linhas de pesquisa do Grupo de Pesquisa Geografia e Cartografia Escolar, a saber:
I. Atlas municipais escolares
II. Cartografia para escolares
III. Tecnologias da informação e comunicação na Cartografia Escolar
IV. Temas de Geografia, Cartografia e Educação
As atividades que compõem cada grupo de trabalho são: mesa-redonda visando a apresentação do estado-da-arte no tema; apresentação de trabalhos orais selecionados; apresentação e avaliação de pôsteres selecionados; discussão sobre estratégias de fortalecimento da linha de pesquisa.
4. Debate de encerramento: “Cartografia para crianças e escolares no Brasil: Panorama e Perspectivas de Inovação”
5. Plenária Final: Avaliação geral do evento, apresentação das discussões nos grupos de trabalho e demais encaminhamentos.


Público-alvo: Professores universitários, pesquisadores, estudantes de graduação e pós-graduação, professores do ensino fundamental e médio, técnicos educacionais das áreas de geografia e cartografia escolar.
Normas para apresentação de trabalhos:
1. Os trabalhos poderão ser inscritos nas modalidades apresentação oral ou pôster.
2. Cada participante poderá submeter um trabalho como primeiro autor.
3. Serão selecionados 10 trabalhos para cada linha de pesquisa, para apresentação oral. Os demais trabalhos, desde que aprovados pelo comitê científico, serão apresentados em forma de pôsteres. O(s) autor(es) indicarão a modalidade em que desejam incluir o trabalho. O Comitê científico poderá indicar a alteração da modalidade.
4. A seleção dos trabalhos em ambas as modalidades será realizada a partir dos resumos enviados, em arquivo de editor de texto (.doc, .rtf, .docx ou equivalente), que deverão conter até 4.000 caracteres e apresentar: modalidade proposta (apresentação oral ou pôster), título, objetivo, desenvolvimento, conclusão e referências citadas. A redação deve ser clara e
não deverão ser inseridas figuras de qualquer tipo. Resumos apresentados fora das normas não serão encaminhados à avaliação do comitê.
5. Os critérios para julgamento dos trabalhos são a sua aderência às linhas de pesquisa, sua qualidade técnico-científica e sua contribuição aos objetivos do evento. O Comitê científico fará a avaliação sem conhecimento do(s) autor(es) do trabalhos.
6. Os resumos serão recebidos até o dia 14 de julho, pelo e-mail cartografiaescolar2011@uol.com.br. O resumo deverá estar anexado ao e-mail. No corpo do e-mail deverá ser informado: Nome completo do(s) autor(es), vinculação institucional e endereço eletrônico.
7. Os autores receberão o resultado do julgamento do comitê científico, ao qual não caberá recurso. Para a inclusão do resumo na programação do evento, para o envio do trabalho completo para publicação e para apresentação do trabalho, seja na modalidade oral ou pôster, o autor do trabalho deverá se inscrever no evento até 30 de agosto de 2011. Somente serão publicados os trabalhos completos efetivamente apresentados, independentemente da modalidade.
Inscrições:
As inscrições serão realizadas por meio do envio de ficha de inscrição preenchida e comprovante de pagamento por meio eletrônico. As inscrições serão realizadas a partir do dia primeiro de maio de 2011.


Promoção:
Laboratório de Cartografia Geográfica e Geotecnologias da Universidade Federal do Espírito Santo
Laboratório de Ensino e Aprendizagem de Geografia da Universidade Federal do Espírito Santo
Grupo de Pesquisa CNPq “Geografia e Cartografia Escolar”
Grupo de Pesquisa CNPq “POESI – Política Espacial das Imagens”
Apoio:
Centro de Ciências Humanas e Naturais da Universidade Federal do Espírito Santo
Departamento de Geografia – CCHN- Ufes
Sociedade Brasileira de Cartografia
Associação dos Geógrafos Brasileiros – Seção Vitória
Programa de Pós-Graduação em Geografia - Ufes




domingo, 10 de abril de 2011

III Simposio Internacional y VII Nacional sobre los Derechos de la Niñez y la Adolescencia



"El propósito fundamental del evento es contribuir a la reflexión sobre los entornos sociales y prácticas culturales que actualmente inciden en la definición de estilos de vida de niños, niñas y adolescentes, así como de las políticas sociales vinculadas al tema; propiciando con ello procesos de cambio acordes con los derechos humanos de esta población.

El evento se realizará en el Auditorio de la Ciudad de la Investigación de la Universidad de Costa Rica, Sede Rodrigo Facio los días 04, 05 y 06 de octubre, 2011."



Maiores informações:
http://www.pridena.ucr.ac.cr/

quarta-feira, 6 de abril de 2011

III ENCONTRO INTERNACIONAL DE LINGUAGEM, CULTURA E COGNIÇÃO REFLEXÕES PARA O ENSINO E APRENDIZAGEM

17 a 20 de abril de 2011
UFMG

III Encontro Linguagem, Cultura e Cognição tematiza a aprendizagem, assumindo-a em sua acepção mais ampla: como processos de aprendizagem da cultura. A abordagem conceitual proposta revela a atual tendência para a exploração do tema no campo das Teorias da Prática e da Cognição Situada. O programa de debates – de interesse do campo acadêmico e da Educação Básica – assume, portanto, a aprendizagem como tema central a partir de autores que atuam na interseção dos campos disciplinares da Educação, Lingüística, Psicologia, Antropologia e Biologia.  Tal proposta emerge da necessidade de abordar as relações entre a aprendizagem e a prática social, aprofundando o conhecimento de grupos e culturas que geram formas de convivência ou de socialidade constitutivas na formação dos sujeitos...(informações da página do evento)
A conferência de abertura será com a Profa. Jean Lave, e que conta com a participação de Elsie Rockwell e Antonia Candela , do DIE/Cinvestav.
Maiores informações em:
http://www.fae.ufmg.br/3lcc

Mapa-mundi IBGE


O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística lançou um mapa-mundi com acesso on-line, está disponível diversos indicadores dos países. Muito bom para coletar dados estatísticos e outras informações sobre as diversas nações do planeta.
O link de acesso é:
http://www.ibge.gov.br/paisesat/main.php

segunda-feira, 4 de abril de 2011

Chimamanda Adichie: “O perigo de uma única história”.

Chimamanda Adichie - Escritora Nigeriana
Palestra em Oxford. 2009
Para refletir sobre nossas crianças e as diversidades de infâncias no mundo. Acesse aqui a palestra e o link para Chimamanda Adichie: “O perigo de uma única história”. O vídeo está disponível na seção "vídeos" desse blog.


"Eu sou uma contadora de histórias e gostaria de contar a vocês algumas histórias pessoais
sobre o que eu gosto de chamar "o perigo de uma história única".
Eu cresci num campus universitário no leste da Nigéria. Minha mãe diz que eu comecei a ler
com dois anos, mas eu acho que quatro é provavelmente mais próximo da verdade. Então, eu
fui uma leitora precoce. E o que eu lia eram livros infantis britânicos e americanos. Eu fui
também uma escritora precoce. E quando comecei a escrever, por volta dos sete anos,
histórias com ilustrações em giz de cera, que minha pobre mãe era obrigada a ler, eu escrevia
exatamente os tipos de histórias que eu lia. Todos os meus personagens eram brancos de
olhos azuis. Eles brincavam na neve. Comiam maçãs. (Risos da plateia) E eles falavam muito
sobre o tempo, em como era maravilhoso o sol ter aparecido. (Risos da plateia), apesar do
fato que eu morava na Nigéria."

Vale conferir.
Transcrição integral do texto:
https://docs.google.com/viewer?a=v&pid=explorer&chrome=true&srcid=0B1A5--K3ahFJMzQ2MzFmNzctYjU4MS00NjVlLTg5NGMtNzA5MjkzYmI0Y2Rk&hl=en

sábado, 2 de abril de 2011

TERCEIRO CONGRESSO INTERNACIONAL UFES/UNIVERSITÉ PARIS-EST/UNIVERSIDADE DO MINHO





TERCEIRO CONGRESSO INTERNACIONAL
UFES/UNIVERSITÉ PARIS-EST/UNIVERSIDADE DO MINHO

    TERRITÓRIOS, PODERES, IDENTIDADES
Territoires, pouvoirs, identités
Vitória, Brasil, 07 a 10 de novembro de 2011


O Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), o Laboratoire de Analyse Comparée des Pouvoirs da Université Paris-Est e o Departamento de História da Universidade do Minho gentilmente convidam todos os professores, estudantes e pesquisadores em História e disciplinas afins a participar do III Congresso Internacional – Poderes, territórios, identidades, que acontecerá entre os dias 07 e 10 de novembro de 2011 em Vitória, Espírito Santo, Brasil.
              O principal objetivo do III Congresso é propiciar a reflexão acerca da maneira pela qual as sociedades e/ou grupos sociais  delimitam, circunscrevem o território por eles ocupado, numa tentativa de imprimir, na paisagem, os símbolos por meio dos quais se afirma uma identidade às expensas daquilo que se localiza nas margens, no exterior, na no man’s land habitada por “invasores” e outsiders.  O debate visa assim a compreender as linhas gerais dos processos político-identitários que separam e subtraem da apropriação coletiva determinados ambientes, controlados por grupos e comunidades, que sobre eles exercem poder, seja sob uma perspectiva bastante abrangente, como o de uma nação ou império, seja sob uma perspectiva mais modesta, como uma cidade, uma aldeia ou mesmo uma edificação. (Informações da Página do evento)

Maiores detalhes em:
http://www.ufes.br/ppghis/congresso/index.html