terça-feira, 1 de novembro de 2011

XVI ENDIPE 2012

DIDÁTICA E PRÁTICAS DE ENSINO
COMPROMISSO COM A ESCOLA PÚBLICA, LAICA, GRATUITA E DE QUALIDADE
23 a 26 de julho de 2012- CAMPINAS
São Paulo - Brasil
A escola, como instituição social, cumpre uma função que lhe é específica, qual
seja, a de assegurar a formação educativa escolar para todas as crianças, jovens e
adultos do país. Sua trajetória mostra conquistas, como a ampliação do atendimento a
quase todas as crianças em idade escolar, ao mesmo tempo em que evidencia
enormes problemas, como a sonegação do ensino público, com qualidade, para boa
parte da população que nela está inserida.
As políticas educacionais implementadas nos últimos vinte anos acabaram por
impor às escolas um excessivo controle, que tem dificultado sua organização a partir
de projetos político-pedagógicos próprios e emanados do trabalho coletivo de sua
comunidade. Em decorrência, estão perdendo a possibilidade de se recriar frente às
novas demandas sociais, padecendo com a imposição curricular praticada em várias
redes de ensino, com as múltiplas avaliações externas (que privilegiam resultados em
detrimento de processos educacionais), com a precarização e intensificação do
trabalho dos professores, entre outros aspectos. Toda essa situação caminha no
sentido do esmagamento de possíveis projetos institucionais e pedagógicos com
identidade própria, causando o empobrecimento das práticas docentes e a
deterioração da qualidade da formação disponibilizada aos alunos.
A escola pública pede socorro!
Nós educadores que ainda acreditamos numa sociedade que se torne justa e
solidária pela socialização e partilha de saberes, de conhecimentos e de
valores, estamos convocados a responder a esse grito de alerta. Nunca é demais
perguntar: que sociedade queremos para os brasileiros das gerações futuras? Sem
medo de pieguice, podemos afirmar que essa sociedade está sendo tecida nos
espaços/tempos da escola pública!
É por isso que o momento atual requer o compromisso de todos os setores da
sociedade, principalmente o dos educadores, em favor da escola pública, criando
possibilidades para o enfrentamento de seus problemas, de modo a fazer cumprir sua
função social de assegurar aprendizagens enriquecedoras a todos os alunos,
ampliando a perspectiva de direitos, garantida no plano legal.
O XVI ENDIPE coloca em destaque essa problemática e convoca os educadores
para refletirem, a partir dos retratos da nossa escola, sobre o que nos cabe como
docentes, bem como o que se impõe à Didática e às Práticas de Ensino das diferentes
áreas do conhecimento e o que pode se renovar por meio de nossas ações.
Desde sua criação, no início dos anos 1980, os ENDIPEs constituem espaço
privilegiado para a apresentação e o debate de pesquisas, estudos e experiências que
buscam responder questões emergentes da educação brasileira. Tendo por tema geral:
DIDÁTICA E PRÁTICAS DE ENSINO: COMPROMISSO COM A ESCOLA PÚBLICA, LAICA,
GRATUITA E DE QUALIDADE – o XVI ENDIPE se propõe a ser um espaço de articulação
de trabalhos que, ao considerarem o ensino como prática social e com base nos
campos teórico e disciplinar da Didática e das Práticas de Ensino, indiquem caminhos e
perspectivas teóricas, metodológicas e políticas para a superação dos entraves que
geram cada vez mais uma desigualdade social, a partir da sonegação do ensino de
qualidade, como direito de todos que passaram a ter acesso à escolaridade.
Assim, o OBJETIVO GERAL do XVI ENDIPE é o de socializar e debater pesquisas,
estudos e propostas sobre a Didática e as Práticas de Ensino como áreas de
conhecimentos específicos, áreas disciplinares e áreas de práticas pedagógicas,
destacando seu compromisso público e político com resultados do ensino e da
aprendizagem de qualidade nos diferentes níveis e modalidades, no contexto da
definição e das implicações do Plano Nacional de Educação (2012-2022).

Nenhum comentário:

Postar um comentário